Dorothy Tem Que Morrer – Danielle Paige

img_3912

     Olá! Nos desculpamos pelo sumiço, mas sabe quando a falta de inspiração surge? Inevitável não sumir, né? Vamos tentar manter um ritmo considerável a partir de agora (eu espero haha). Agora, vamos direito ao assunto, que tal?

   Dorothy Tem Que Morrer despertou meu interesse assim que li o título há um ano, enquanto olhava o site da Saraiva, porém depois de ler eu teria me arrependido bastante de ter comprado naquela época. O livro me decepcionou um pouco, eu esperava mais. Afinal de contas, uma história baseada em O Mágico de Oz na qual a personagem principal icônica muda de lado e fica má, ao meu ver, tem bastante potencial. Contudo, existe uma linha tênue entre ter potencial e saber usar esse potencial, na minha opinião e Danielle Paige não soube trabalhá-lo. Aliás, parte de mim ainda se questiona se não foi um problema na tradução ou algo assim porque não entendo como deixaram um livro tão confuso chegar às prateleiras. Vamos as considerações.

   Amy Gumm, a personagem principal e quem supostamente tem que matar Dorothy é fraca, não tem muita substância e não dá pra acreditar que ela vai realmente conseguir matar a vilã. Por mais que tentem convencê-la e nos convencer de que quem tem que mata-la é ela, muitas vezes eu achei que ela acabaria morrendo de tão perdida que ela estava. A escritora tentou criar um suspense quanto a lealdade da Ordem dos Malvados para com Amy que, pra mim, não colou. Sem contar o romance que ela tentou forçar entre não só Amy e Nox (um membro da Ordem dos Malvados), mas também entre Amy e Pete. A história teria sobrevivido muito bem sem esses pseudo-romance e se tivesse melhores descrições de cenas, mais detalhes.

O livro tem passagens confusas, as descrições das cenas não são lá muito boas e você fica perdido constantemente. Enquanto lia eu cheguei a me questionar se eu não estava ficando louca porque na minha cabeça uma coisa já tinha acontecido, mas no livro ainda estava sendo executada. Exemplo; numa passagem do livro (págs 305 e 306), depois que Amy resgata Maude do laboratório do Espantalho, ela tem que cortar as asas da macaquinha e o seguinte acontece, página 305:

Cortá-las era a parte fácil; minha faca era afiada e estava quente. A pior parte, aquela que eu achei que nunca mais ia esquecer, era o som que elas fizeram. E como as asas começaram a voar sozinhas. 
 O sangue escorria das minhas mãos, tão escuro que era quase preto. O calor da minha lâmina cauterizou um pouco a ferida. Ollie se aproximou de mim, estancando o sangue e suturando onde era necessário. 
– Sinto muito. Sinto muito mesmo –  fiquei repetindo. Acho que ela não me ouviu. Eu não conhecia nenhum feitiço para entorpecer a dor, ou teria usado. Maude aguentou tudo sem gritar ou gemer, sabendo que precisávamos ficar em silêncio. 
(306)
Quando a primeira asa caiu no chão, Maude perdeu a consciência. Verifiquei sua respiração, só para saber se estava viva, mas não tentei despertá-la. 
Ollie limpou e colocou atadura no primeiro toco, enquanto eu ia para o outro. Esse demorou demais, porque meus braços estavam pesados e fracos. 
Quando tudo terminou, Ollie a colocou nos braços, aninhando-a como um bebê. Ela se mexeu e olhou para mim de um jeito sombrio. 
– Obrigada – murmurrou.”

   Lutei bastante pra terminar a leitura, especialmente porque me propus a escrever sobre o livro no blog, mas foi complicado. Apesar de tudo, eu quero ler a continuação e saber como Amy vai executar o restante de sua missão. Talvez eu seja masoquista ou só curiosa mesmo, mas quero saber como isso tudo vai terminar, até porque também tenho curiosidade em saber sobre a mãe da Amy e a vida dela no Kansas quando terminar sua aventura em Oz.

   Dorothy Tem Que Morrer tem prequelas, ou seja, histórias sobre eventos que acontecem antes dela. São elas: No Place Like Oz, The Witch Must Burn, The Wizard Returns, Heart of Tin, The Straw King, Ruler of Beasts e as sequências The Wicked Will Rise e Yellow Brick War. Todas lançadas em inglês e espanhol, disponíveis na Amazon. Apenas Dorothy Tem Que Morrer foi traduzida para português, por enquanto.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s